Sabe-se que brincar faz parte não só do universo infantil, mas do adulto também.Quem não tem saudades ao observar crianças brincando livremente, vendo a alegria e a espontaneidade com que executam as atividades de forma prazerosa?

Os jogos e brincadeiras mudaram muito devido aos avanços tecnológicos. Antigamente não existiam muitos brinquedos de alta tecnologia e as crianças se divertiam com brincadeiras simples e saudáveis, o que evitava que se tornassem sedentárias e obesas. As brincadeiras ativas infantis desenvolvem a imaginação, a criatividade, elevam a autoestima e a aptidão física e ainda contribuem para o desenvolvimento físico, mental, emocional, cognitivo/intelectual e social, favorecendo a convivência saudável, ao contrário do que proporcionam as atividades atuais.
Ultimamente as crianças estão hipnotizadas pelas novas tecnologias, e alternativas mais ativas e saudáveis dificilmente as atraem. Dessa forma, elas possuem menos contato com outras crianças, brincam menos com os pais, passam horas e horas em frente ao computador, televisão, com jogos eletrônicos, ficam ocupadas em passar fases, vencer obstáculos, disputar corridas alucinantes, tudo sem sair do lugar, ficando, a cada dia, mais sedentárias e obesas. Essa troca de atividades saudáveis por não saudáveis, aliada à má alimentação, tem contribuído para o acúmulo de tecido adiposo nas crianças, que desde cedo já começam a apresentar diabetes, hipertensão, aterosclerose, arteriosclerose, osteoporose, hipercolesterolemia… De acordo com Luís Vaz de Camões, “mudam-se os tempos, mudam-se as vontades”.
Brincar sempre foi o entretenimento favorito das crianças, desde os tempos de nossos avós. A importância, beleza e pureza dessa fase tão deliciosa infelizmente têm sido deixada para trás, e o BRINCAR ativamente é raridade hoje entre as crianças. As mudanças de cultura e as tecnologias avançadas mudaram a forma de brincar, prejudicando a saúde das crianças. Brincar não tem apenas o objetivo de divertir, mas também de fazer movimentar o corpo.
Essa atividade aumenta em três vezes o gasto calórico em relação a assistir à TV e em duas vezes em relação a jogos eletrônicos que simulam dança. Após brincadeiras ativas de 10, 20 ou 30 minutos, há queda da pressão arterial bem como melhor desempenho em testes de função cognitiva e desempenho escolar – de acordo com o grupo de pesquisa da Professora Dra. CARMEN SILVIA GRUBERT CAMPBELL, da UCB. As crianças estão perdendo o encanto pelas brincadeiras ativas! Se você foi uma criança ativa sabe que não tem nada mais divertido do que brincar com os amigos.

1 comentários

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Por favor, digite seu nome